Os benefícios da Chia

Dez benefícios da chia para a saúde
Grãos de chia: benefícios para a saúde vão muito além do emagrecimento (Foto: Thinkstock)
Depois da linhaça, da quinoa, do amaranto e de uma infinidade de outras sementinhas, chegou a hora da chia cair de vez no prato dos brasileiros. Originário do México e Colômbia, o grão da chia (Salvia hispânica L.) já fazia parte do cardápio dos nossos ancestrais há alguns séculos, sendo reconhecido como um excelente alimento. É fonte de proteínas, fibras dietéticas, ácidos graxos (ômega 3 e 6), vitaminas do complexo B (tiamina, riboflavina, niacina) e minerais (cálcio, fósforo, magnésio, zinco, potássio e cobre).A semente, rica em fibras e ômega-3, é capaz de exterminar a gordura do abdômen, proteger a flora intestinal, melhorar a absorção de nutrientes, prevenir inflamações e reduzir o tempo de recuperação das lesões.

Para quem quer emagrecer, a chia é uma boa pedida. Quase metade da semente é formada por fibras dietéticas, entre insolúveis (maior parte delas) e solúveis. As insolúveis, depois de ingeridas e em contato com a água, incham, absorvendo até 12 vezes seu peso em líquido, o que ajuda a organizar o trânsito intestinal. Já as fibras solúveis interagem com a água, formando uma espécie de gel no estômago e intestino, o que faz que o esvaziamento gástrico seja mais lento e a saciedade prolongada. Além disso, a chia ajuda a reduzir a gordura que fica entre os órgãos e o ômega-3 presente nela ajuda a regular o apetite.

Outra qualidade da chia está em seu perfil nutricional: tem de 19% a 23% de proteína e 18 dos 22 aminoácidos. Incluir o grão na dieta, portanto, colabora na recuperação das fibras musculares e na reposição de glicogênio (reserva energética) no pós-exercício.

Além de tudo, presta um excelente serviço à saúde dos atletas ao eliminar a oxidação produzida pelos radicais livres que, dependendo da quantidade em que estão concentrados, danificam as células, provocam envelhecimento precoce e até doenças como o câncer.


Fibra

“A semente de chia apresenta alto teor de fibras, nutriente essencial para o bom funcionamento do organismo. As fibras apresentam a capacidade de promover saciedade, pois em contato com líquido no interior do estômago formam uma espécie de “gel” que dilata o estômago”, conta a nutricionista.

Estudos apontam que o consumo da chia pode auxiliar na perda de peso, pois auxilia na redução do apetite. Além disso, a formação desse “gel” aumenta o volume do bolo fecal, facilitando a eliminação das fezes e melhorando o funcionamento do intestino. O “gel” formado pela fibra em contato com líquido auxilia ainda no tratamento e prevenção de doenças como diabetes e doenças cardiovasculares. Parte da glicose e gordura em excesso permanecem retidos na fibra, sendo eliminados através das fezes.

Proteína

“Outra característica é que a semente apresenta maior teor de proteína quando comparada a outros cereais como o milho, o arroz, a aveia, a cevada e o trigo. Por isso, o consumo da chia pode beneficiar vegetarianos, pois complementa o fornecimento deste nutriente na dieta”, afirma. 
A chia pode ser utilizada na alimentação de crianças, adolescentes e gestantes, por ter nutrientes essenciais para o crescimento e desenvolvimento. Praticantes de atividades físicas também podem se beneficiar do consumo desta semente, já que estes indivíduos necessitam de maior aporte protéico quando comparados a indivíduos sedentários.

Vitamina e Minerais

Chia é uma boa fonte de vitaminas do complexo B, de minerais como: cálcio, fósforo, magnésio, potássio, ferro, zinco e cobre. “Por ser boa fonte de cálcio é uma excelente opção para aqueles que apresentam osteopenia e osteoporose. Para crianças e gestantes, o cálcio é importante para a formação da massa óssea”, explica Thais.

Antioxidantes

Os radicais livres são produzidos diariamente em nosso organismo, durante a respiração, digestão dos alimentos, exposição à poluição, dentre outros. Os radicais livres podem danificar as células levando desde envelhecimento precoce até doenças como câncer. Os antioxidantes são capazes de bloquear o efeito prejudicial dos radicais livres. A maioria dos antioxidantes são encontrados em alimentos de origem vegetal, como frutas, verduras, legumes e cereais integrais. Importantes antioxidantes encontrados nas sementes de chia são o ácido caféico e ácido clorogênico. Estudos indicam que o consumo de altos níveis de alimentos e bebidas ricos em compostos antioxidantes podem proteger contra doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer.

Pelo excelente conteúdo nutricional, a chia ganhou a atenção de pesquisadores do mundo inteiro. Assim que chegou ao Brasil, entrou na dieta das pessoas que se preocupam com a boa forma física e a perda de peso. Outras propriedades do grão, porém, merecem ser destacadas. Conheça alguns dos seus benefícios:

1 – Tem ação anti-inflamatória, porque  o  grão fornece o ômega 3 (ácido linolênico), que tem a propriedade de combater a inflamação do organismo. Um estudo realizado por AYERZA, R e COATES W, publicado na revista Annals of Nutrition and Metabolism em 2007 , mostrou que a dieta contendo chia, tanto na forma de grão como na forma de óleo, foi capaz de aumentar os níveis plasmáticos de ácidos graxos ômega 3.

2 – Tem compostos bioativos com forte ação antioxidante, combatendo a ação dos radicais livres que levam ao envelhecimento precoce e também resultam no desenvolvimento de algumas doenças.

3 – Contribui com o controle do diabetes, graças ao alto teor de fibras, o que ajuda a melhorar a sensibilidade ao hormônio insulina, melhorando a glicemia pós prandial (pós refeição). As fibras tornam mais lenta a absorção dos açúcares pelo intestino, o que ajuda e muito a manter a glicemia (açúcar no sangue) controlada. CHICCO,A. e colaboradores, em 2009, publicaram na revista British Journal of Nutrition um estudo que concluiu que uma dieta incluindo o grão de chia influencia positivamente na melhora da resistência à insulina, o que é fundamental para o bom controle do diabetes.

4 – É grande aliada nas dietas de emagrecimento ou na manutenção do peso ideal, por ser fonte de fibras solúveis que formam um composto gelatinoso  no estômago, tornando a digestão mais lenta e  resultando num aumento de saciedade. Isso favorece uma melhor seleção dos alimentos nas refeições seguintes, bem como redução nas quantidades, uma vez que reduz apetite.

5 – Pode ser um alimento coadjuvante na redução do risco de doenças  cardiovasculares,diabetes, dislipidemia em indivíduos que apresentam sobrepeso, isso também por melhorar a resistência à insulina e perfil lipídico. Os indivíduos obesos ou que apresentam sobrepeso já tem fator de risco para o desenvolvimento de diabetes e doenças cardiovasculares. Em março de 2011, na revista Journal of Nutritional Biochemistry, pesquisadores concluíram que o grão de chia introduzido na alimentação dos animais analisados melhorou a sensibilidade à insulina, reduziu a gordura visceral, o que já é fator de proteção para doenças cardiovasculares.

6 – Combate a constipação, ajudando com a boa saúde intestinal, isso também pela quantidade de fibras que fornece.

7 – O consumo do grão favorece também o controle da pressão arterial, porque o ômega 3  presente tem efeito anti-hipertensivo.

8 – A presença do ômega 3 também faz com que a chia seja um bom alimento para a saúde cerebral, já que esses ácidos graxos poli-insaturados são componentes da estrutura das células nervosas, podendo também melhorar a memória, reduzir a ansiedade e depressão.

9 – Ajuda a melhorar a resistência e rendimento de atletas, além da recuperação muscularno pós treino, isso por causa da presença de proteínas vegetais, ômega 3 e também a presença de minerais que são perdidos pelo suor.

10 – É um poderoso alimento para incluir nas dietas de vegetarianos, por ser  fonte de proteínas vegetais. A qualidade da proteína é excelente, contendo muitos aminoácidos essenciais.

Como incluir na alimentação?

É possível encontrar a chia em diferentes formas:

Grãos (sementes ao natural): Preserva as propriedades nutricionais mais intactas. Pode-se incluir em sopas, bolos, saladas, polvilhar em cereais, iogurtes, frutas e até adicionar em bebidas (sucos ou água).

Óleo: Os ácidos graxos ômega 3 e 6 são preservados, no entanto o teor de fibras fica comprometido. É uma alternativa para temperar a salada ou colocar na sopa.

Farinha: É o produto final da moagem do grão da chia, fonte de ômega 3, fibras e proteínas.

É possível ainda encontrar chia em de flocos e em cápsulas.

É importante enfatizar que a chia deve fazer parte de uma dieta nutricionalmente variada e equilibrada, para que seja possível colher os seus benefícios para a saúde. Como todo alimento, é recomendado que o seu consumo seja parte de um rodízio, no qual haja variação com outras fontes de grãos e sementes.


Veja os benefícios da chia em comparação com outros alimentos


 A chia promete facilitar os processos de emagrecimento, regular o funcionamento do intestino, diminuir o colesterol ruim, fortalecer os ossos, prevenir o aparecimento dos radicais livres, além de turbinar o corpo com Ômega 3, a gordura que faz um bem enorme para o coração. 

 100 g de chia equivalem a 177g de banana, como fonte de potássio.
 100 g de chia equivalem a 2412g de tomate, como fonte de antioxidante.
 100 g de chia equivalem a 1045g de espinafre, como fonte de ferro.
 100 g de chia equivalem a 213g de nozes, como fonte de magnésio.
  100 g de chia equivalem a 453g de aveia, como fonte de fibras totais.
 100 g de chia equivalem a 453mL de leite, como fonte de cálcio.

1 colher de sopa de chia tem praticamente a mesma quantidade de calorias de uma colher de Nutella, 70 a 80 calorias.



Além disso, a chia dá um banho em vários alimentos, quando o assunto é propriedade nutritiva. Possui bons índices de vitaminas do complexo B, riboflavina, niacina e tiamina, essenciais para a circulação sanguínea e para a produção de anticorpos.
Duas colheres de chia tem mais cálcio que um copo de 100 ml de leite de vaca e por isso fortalece os ossos e evita a osteoporose. Por possuir mais antioxidantes que meio quilo de tomates, auxilia na redução dos radicais livre. As boas quantidades de ferro, mais que 300g de espinafre, evita o aparecimento da anemia, por exemplo.

Mas antes de exagerar, fique sabendo que a chia é calórica: uma colher de sopa tem 70 calorias, quase o mesmo que uma colher de Nutella.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bailey Irish Cream Cheesecake

Bolo de Chocolate sem Glúten