Quero amamentar – quem está comigo?

Celina Valderez Feijó Köhler*




Adoro um blog chamado “Cientista que virou mãe”. O nome do blog me faz lembrar que sou uma “mãe que virou cientista”. É desse ponto de vista que falo, que escrevo, que vivo. Aprendi ‘na pele’ o quanto é importante receber apoio quando se tem um bebê, quando se deseja amamentar. Com a dor e a delícia de amamentar a primeira filha vieram questionamentos que resistem e persistem até hoje, e motivam o estudo, a pesquisa, o compartilhar descobertas.

         Refletindo sobre essa frase – “Quero amamentar, quem está comigo?” lembrei do longo caminho percorrido pelas mulheres da atualidade que já decidiram ir em frente, já tomaram a decisão de amamentar. Entretanto, lembrei também das sábias palavras das Amigas do Peito (Rio, RJ): ninguém pode desejar o que não conhece. Antes de desejar – conhecer. E como conhecer, sem estar motivado? Como motivar uma mulher a querer conhecer o maravilhoso mundo feminino, cheio de mistérios, quando muitas delas só conhecem o “lado negro” desse mundo – a dor, a frustração?  Como superar motivações negativas, que levam tantas mulheres a desistirem logo nos primeiros dias? Afinal, amamentar é fácil? É complicado? A resposta não é simples. Pode ser, pode não ser... por onde começar? 

         Com certeza o bom começo será empático. Apenas as intervenções que levem em conta a história individual de cada mulher podem ter sucesso. Importantíssimo levar a arte de escutar as últimas consequências. É grande a responsabilidade dos “iniciados”, dos profissionais de saúde, em quem as mulheres depositam suas esperanças de serem ouvidas, apoiadas, empoderadas.

       A grande e maravilhosa descoberta: parir, amamentar, podem ser momentos mágicos, etapas marcantes, gratificantes, prazerosas. Podem ser! Para isso, as mulheres contam com todo apoio que possamos dar. Nós, quem? TODOS! Familiares – companheiro, mãe, sogra, comadres, amigas... empregadores, professores, pessoal de saúde, meios de comunicação... grupos de mulheres, porque não? Redes mundiais de promoção, defesa, apoio da Amamentação. Importante lembrar, também, o inestimável valor dos Consultores com sólida formação.

Por um mundo solidário com as mulheres, um mundo preparado para apoiar, desde os primeiros passos, a entrada no universo feminino... sem julgar. Estar ao lado das mulheres, ouvi-las, compartilhar seus sentimentos, é o que precisamos fazer se realmente queremos ajudar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bolo Integral de Maçã e Nozes

Bailey Irish Cream Cheesecake