AROMAS DO VINHO

Vinho sem aroma de uva?

Curiosamente, o único aroma de fruta que raramente se encontra em um vinho é o aroma de uva. A exceção é o vinho feito da uva moscatel, que traz à nossa lembrança as frescas e cheirosas uvas de sobremesa.

Quando um vinho tem notas de frutas vermelhas, ou de baunilha, ou de grama, esses termos descritivos são apenas referências de aromas do vinho.
Nossa linguagem cotidiana evidencia a dificuldade de descrever cheiros. Só é possível descrever um cheiro por meio de analogias a outros cheiros conhecidos. Um cheiro é sempre um cheiro “de” alguma coisa.
Mesmo assim, essas comparações são feitas de maneira subjetiva e generalista. Quer um exemplo? Quando dizemos que determinado vinho tem aromas florais, a quais flores, exatamente, nos referimos? Rosas têm perfumes muito diferentes de violetas, e também de orquídeas. Além disso, uma rosa branca tem um perfume distinto de uma vermelha, e também de uma amarela. Algumas rosas, inclusive, são inodoras.
Então, fica claro que os termos usados na descrição dos aromas do vinho são definidos, de maneira imprecisa, apenas por familiaridade, de maneira intimamente ligada à cultura olfativa da pessoa.
Émile Peynaud, famoso enólogo francês falecido em 2004, adotou uma classificação de dez diferentes séries de aromas, bastante difundida e aceita, ultimamente. São elas: vegetal, floral, frutada, etérea, química, amadeirada, balsâmica, condimentada, queimada e animal. Para conhecer mais sobre essa classificação, clique aqui.
De qualquer forma, o limiar de percepção olfativa varia de indivíduo para indivíduo, e pode, sim, ser aprimorado por meio de treinamento. O degustador mais sensível, e muitas vezes treinado profissionalmente, vê sair de sua taça um universo de aromas.
Impossível dizer se o prazer que o vinho proporciona é maior ou menor para quem percebe todas as nuances aromáticas que um vinho pode oferecer.
Mas, degustação pressupõe provar com atenção, submetendo o vinho aos nossos sentidos, incluindo o olfato. E, segundo dizem, “a degustação é a intimidade com o vinho”.
Pronto. Ter intimidade com o vinho é uma forma de prazer, sem dúvida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bolo Integral de Maçã e Nozes

Bailey Irish Cream Cheesecake