Descarte de medicamentos

Lugar de remédio vencido não é no lixo. Veja as formas corretas de descartá-lo.



No Brasil mais de 90% da população não tem conhecimento sobre a forma correta de descartar os medicamentos vencidos ou sobras de medicamentos e acaba jogando os mesmos no lixo ou no vaso sanitário. Esse procedimento contamina a água e o solo, ampliando o surgimento de “lixões”. Quando o descarte não é efetuado de maneira correta, o meio ambiente fica comprometido, além do risco de contaminações e acidentes com crianças e pessoas que frequentam os lixões.


A Pastoral da Criança, preocupada com essa questão, realiza parcerias com diversas instituições e organizações para conscientizar as famílias e as comunidades para os riscos do descarte incorreto de medicamentos.





ProREMED: Programa de Recolhimento de Medicamentos


Em Maringá (PR), a Pastoral da Criança desenvolveu um projeto de arrecadação de medicamentos vencidos juntamente com a empresa Jr. Teófilos Assessoria e Consultoria farmacêutica, do curso de Farmácia da Universidade Estadual de Maringá.
O Programa de Recolhimento de Medicamentos, ou como é mais conhecido, o ProREMED, é um programa de recolhimento de medicamentos vencidos e inutilizados, com o objetivo de evitar o descarte inadequado dessas substâncias químicas em locais indevidos, como no lixo comum ou até mesmo na rede de esgoto.
Mais importante do que recolher medicamentos vencidos, o ProREMED propôs o desenvolvimento de uma campanha sócio-ambiental para conscientização da população dos riscos que envolvem o descarte incorreto de medicamentos. A automedicação, a contaminação de lagos, rios, ecossistemas em geral, além do aparecimento de cepas bacterianas multirresistentes são problemas a cerca desse descarte incorreto e não devem, de maneira alguma, ser subestimados.
A campanha iniciada em 2011, promoveu a conscientização das famílias para o descarte correto dos remédios. Os estudantes de farmácia foram até as comunidades, nos dias da Celebração da Vida, e orientaram as famílias sobre a forma correta de descartar os medicamentos, além da instalação de pontos de coleta. Segundo Leilane Rodrigues, coordenadora da Pastoral da Criança, essa ação foi bastante importante, "com a orientação que as mães receberam dos estudantes, mudaram a forma como as famílias descartam os medicamentos. Nossas famílias precisam disso, de informação", ressalta Leilane.
Hoje, as famílias acompanhadas pela Pastoral da Criança em Maringá, sabem da importância de não jogar os remédios no lixo comum e procuram os pontos de coleta para realizar o descarte.

Como descartar os medicamentos vencidos ou sobras


O Brasil ainda não dispõe de uma legislação específica de âmbito nacional para o descarte, recolhimento, transporte e destinação adequada dos medicamentos vencidos ou em desuso. Muitos estados e municípios estabelecem regras e criam postos de coletas para os medicamentos. Também redes de farmácias, laboratórios e hospitais instalam postos de coletas, para que o medicamento seja descartado de maneiro correta.
O descarte dos medicamentos vencidos ou sobras é realizado, muitas vezes, por grande parte da população, no lixo comum ou na rede pública de esgoto. Estudos de diversos países tem demonstrado a presença de produtos farmacêuticos na água. Segundo a Agência de Proteção Ambiental dos EUA, o ciclo de vida dos produtos farmacêuticos foi analisado e contatado que, o motivo principal de presença de resíduos no meio ambiente (água, solo, etc), é fruto do descarte incorreto do medicamento, e não do seu processo de fabricação.
Estima-se que no Brasil, o volume de resíduos domiciliares de medicamentos jogado fora de maneira inadequada, seja algo entre 10 mil a 28 mil toneladas. Segundo Gustavo Trindade da Silva, chefe da unidade técnica de regulação da Anvisa, os remédios jogados no lixo ou no esgoto, podem poluir o solo e a água e trazer risco para o ambiente e para as pessoas.




Principais problemas sociais e ambientais


O descarte incorreto de medicamentos traz sérias consequências para o meio ambiente e também para a população. Veja os principais problemas sociais e ambientais associados aos resíduos de medicamentos e aos medicamentos com prazos de validade vencidos:
  •  intoxicação acidental de crianças e adultos;
  •  Abuso intencional de drogas;
  •  Impactos na qualidade da água e do solo;
  •  Impactos negativos sobre a vida aquática;

Como descartar corretamentos os remédios



  • ao descartar os medicamentos, tome o cuidado de manter as embalagens originais;
  •  para eliminar o risco de acidentes com materiais cortantes, guarde-os dentro de embalagens rígidas, como latas e plastico.
  •  caixas de papel e bulas são embalagens que não tem contato direto com os medicamentos e podem ser descartados nos coletores seletivo de papel, para a reciclagem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bolo Integral de Maçã e Nozes

Bailey Irish Cream Cheesecake